Testes rápidos para diagnóstico de COVID acabam em grande laboratório de BH

Vice-presidente do Hermes Pardini alerta sobre o problema e diz que 45% dos exames feitos pelo laboratório em MG deram positivo. PBH garante testes nas UPAs


foto:reprodução/wix

A crescente demanda por testes rápidos para detectar COVID-19 em BH já acabou com o estoque de um dos maiores laboratórios do estado, o Hermes Pardini. Segundo Alessandro Ferreira, vice-presidente do grupo, os testes acabaram na central da empresa na sexta-feira (14/1). Ontem, na unidade da Rua Aimorés, no Bairro Funcionários, os últimos foram usados.


A previsão para a chegada de uma nova remessa para o laboratório é só no próximo fim de semana.

A assessoria de imprensa da Drogaria Araújo e a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) informaram que ainda têm estoque para testes.


"Esse é um problema nacional. Isso aconteceu por conta da grande procura. Além disso, houve uma paralisação na produção por conta do recesso de fim de ano. A produção retomou entre o dia 3 e 4 de janeiro. Mas a demanda consumiu todo o estoque. Nunca tinha acontecido esse desabastecimento no mercado", explicou. Quem buscou por testes hoje na unidade da Rua Aimorés, no Bairro Funcionários, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, encontrou uma longa fila. O vice-presidente do Pardini explica que a demanda vem subindo de forma mais acentuada desde do dia 4 de janeiro. "Quem foi às festas de ano novo começou a manifestar sintomas quatro a cinco dias depois. A gente viu isso na prática. Desde o dia 10, atingimos a capacidade máxima de realização de testes por dia", explicou. São processados cerca de 20 mil testes RT-PCR por dia, a capacidade máxima.


"Nossos dados ainda mostram que 45% dos testes deram positivos no estado. Em comparação com a média móvel dos últimos 14 dias, a positividade aumentou. Desses, 97% são da variante Ômicron", aponta. Hoje, a capacidade máxima para Belo Horizonte é de 5 mil testes por dia. Ele explica que em BH, há cerca de 45 dias, eram feitos por volta de 700 a 750 testes diários. "Desde então, o Hermes Pardini criou uma força-tarefa e tem feito o possível para atender todos os clientes. Ampliamos os estoques de insumos, contratamos profissionais, reforçamos nossos canais de atendimento, entre outras medidas. Outros laboratórios suspenderam os serviços por falta de insumos. E, por isso, também sobrecarregou as nossas unidades", explicou. Foram contratados 30 novos funcionários. Ele ainda afirma que, apesar de todos os esforços, eventuais atrasos ainda podem acontecer, assim como a ampliação no prazo de entrega dos resultados. "Pedimos compreensão aos clientes neste momento crítico da pandemia, mas reforçamos que permanecemos fazendo o possível", finalizou.

Secretaria garante testes rápidos nas UPAs em BH

A Secretaria Municipal de Saúde informou que está abastecida com testes de COVID-19. "Todos os pacientes que procuram as UPAs e Centros de Saúde, com sintomas respiratórios, são testados, por meio de teste antígeno (teste rápido), para COVID-19, para diagnóstico diferenciado. Grávidas, puérperas ou pessoas com comorbidade que tiverem sintomas respiratórios, com teste rápido negativo, são submetidas também ao PCR para diagnóstico definitivo", disse por meio de nota.


A Drogaria Araújo disse, por meio da assessoria de imprensa, que não tem falta de teste rápido nas drogarias de Belo Horizonte. Entretanto, ao ser questionado pela reportagem, a assessoria não informou sobre o estoque nas unidades das farmácias.

#atvdopovo

#12anos

#aGenteSeEncontraAqui


fonte:https://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2022/01/16/interna_gerais,1338063/testes-rapidos-para-diagnostico-de-covid-acabam-em-grande-laboratorio-de-bh.shtml

6 visualizações0 comentário