CPI da Covid: ex-secretário da Saúde ressalta que aprovação de vacinas depende de aval da Anvisa


O ex-secretário-executivo do Ministério da Saúde Elcio Franco, durante depoimento nessa quarta-feira (9) à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, ressaltou que a aprovação de vacinas depende de aval da Anvisa.


Além da compra de vacinas, Franco também foi questionado pelos senadores sobre o suposto “gabinete paralelo”, imunidade de rebanho e tratamento precoce.

Em resposta ao senador Jorginho Mello (PL-SC), o ex-secretário-executivo reafirmou que as negociações de vacinas foram lentas porque era necessário aguardar o aval da Anvisa.

Elcio Franco também reafirmou os esforços do governo federal para comprar somente vacinas seguras.


Por isso, o ex-secretário também defendeu a decisão de não comprar vacinas Pfizer em 2020. “Pareceu-nos que nem ela confiava no que estava vendendo”, disse Franco.


No contrato proposto pela farmacêutica, havia uma cláusula para que a empresa não assumisse os possíveis efeitos colaterais das vacinas, o que o Brasil se negava a aceitar.

Além disso, durante seu depoimento, Elcio Franco lembrou que consultorias jurídicas de ministérios desaconselharam assinatura de memorando com a Pfizer por conta de exigências que o Executivo não poderia garantir, como aprovação de lei, que dependeria do Legislativo.


Em resposta ao senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI, sobre contratos para troca de tecnologia para o desenvolvimento dos imunizantes, Elcio Franco afirmou que somente a AstraZeneca se colocou à disposição para fazer esse tipo de parceria.

Sobre a Coronavac, o ex-secretário declarou que não houve ordens para atrasar a compra dos imunizantes.

Elcio Franco afirmou que a orientação de Bolsonaro e do ex-ministro Pazuello era adquirir o máximo de doses de vacinas, desde que eficazes e autorizadas pela Anvisa.

Ainda ao responder a Calheiros, Franco disse que o Ministério não fez contrato com o Instituto Butantan em outubro de 2020 porque a fase 3 de estudos clínicos ainda não havia sido concluída.


Após Omar Aziz (PSD-AM) afirmar que vacinas em fase 2 de teste já podem ser adquiridas, Franco relembrou que essa fase não garante segurança e eficácia por ter público restrito, pois é a fase 3 que pode comprovar os dois aspectos.


#atvdopovo

#12anos

#aGenteSeEncontraAqui


fonte: https://tercalivre.com.br/cpi-da-covid-ex-secretario-da-saude-ressalta-que-aprovacao-de-vacinas-depende-de-aval-da-anvisa/

9 visualizações0 comentário